quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Em defesa de Suzana Vieira


Sim, senhores, eu faço parte da massa popular que sai em defesa de Suzana Vieira. Não sou um grande fã e também não vejo nela uma imagem de diva da televisão (como vejo, por exemplo, em Renata Sorrah), mas me sinto na total obrigação de sair em defesa dessa atriz. No romance O Pau, de Fernanda Young, a personagem cita Suzana Vieira como um estereotipo que mulher nenhuma deveria atingir. Tudo pelo simples fato de Suzana ter cometido o erro de se apaixonar e acreditar. Claro que eu condeno esse ato. Amar e acreditar cegamente. De maneira nenhuma. Sou adepto do arriscar e amar até o fim, mas com sua própria personalidade e sempre com um pé atrás. Suzana cometeu esse erro que, muitas vezes, chega a ser letal. Fa-tal! Mas uma coisa temos todos que admitir: Suzana foi forte o suficiente para dar a volta por cima. Ela teve a força que muitos não têm. Dizem que ela teve o completo apoio da mídia, enquanto o ex-marido tinha todos contra ele. Não vejo como poderia ser de outra forma. Digam o que for, mas Suzana Vieira é uma das ótimas atrizes deste nosso Brasil varonil. Suzana conquistou o carinho do público, da própria mídia (ah, como eu odeio mídia), conquistou fãs e até admiradores (que não é o meu caso). Admiro o trabalho de Suzana, sobretudo a nordestina Maria do Carmo, da novela Senhora do Destino (2004), de Aguinaldo Silva, a qual me fez conhecer o trabalho de Suzana (e amar Renata Sorrah em todos os seus papéis). Suzana cometeu um erro e atire a primeira pedra quem nunca cometeu um erro. Alguns a taxam de burra, ignorante e chata. Bom, eu vejo todos estes atributos num cara chamado Diogo Mainardi, mas como ele é um colunista da porca Veja e trabalha no chatíssimo Manhattam Connection , ninguém abre a boca para criticá-lo. Não sou adorador de Suzana Vieira nem um grande conhecedor ou fã do seu trabalho, salva exceções. Chego a admirar essa mulher em determinados momentos, não pela inteligência que dizem ela não ter (não a conheço, não sei se tem ou não), mas pela sua força, dignidade e bom-humor. Tico Santa Cruz, vocalista do (quase) falecido grupo Detonautas Roque Clube critica Suzana Vieira por ela achar que é uma garota de 20 anos. Eu critico Santa Cruz por ele achar ser um senhor engajado, inteligente e vivido. Os discursos políticos de Santa Cruz soam quase como os de Bono Vox, a diferença é que os de Vox ainda são suportáveis, enquanto de Santa Cruz são completamente dispensáveis. Mas, mais tarde, eu abro um tópico para criticar estes chatos engajados. Engajamento é uma coisa, alienação ao contrário é outra – talvez eu abra um tópico para criticar também Renato Russo, afinal eu posso, não é? O blog é meu!

Voltando à vaca gorda (isso não foi um trocadilho). Suzana Vieira merece respeito pelo seu trabalho e pela sua personalidade. Se o mundo se baseasse APENAS na inteligência, talvez não tivéssemos tantas pessoas de bem. Não pensem vocês que não acho a inteligência importante... Ou melhor, podem achar se quiser, as palavras são minhas e delas saem o fruto que bem devem ser entendidos.

Sim, senhores... Saio eu em defesa à Suzana Vieira e contra Diogo Mainardi, Tico Santa Cruz, Renato Russo e Bono Vox.

Último comentário? Adorei seu trabalho como Lara Romero na minissérie Cinquentinha, também de Aguinaldo Silva.


BC.

Um comentário:

Isabel Cristina disse...

Suzana Vieira é sem dúvida uma exelente atriz, merece o respeito de todos, e depois a vida particular dela é dela, ela gosta de quem quizer, valoriza quem quizer, ela está certa tem dinheiro ela compra mesmo, ela tem consciência que está comprando marido, rssssssss.
E está super certa, cada um gasta com aquilo que gosta, não é mesmo.
beijão.