sexta-feira, 29 de abril de 2011

Paula Capovilla


Achei que Paula Capovilla merecia um post apenas para ela antes de eu postar minha opinião sobre o musical Evita. A atriz já esteve em grandes musicais, dentre eles Les Miserables e Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava, mas chega agora finalmente seu momento de brilhar. No papel de Eva Perón, primeira dama da Argentina, Paula mostra seu talento e profissionalismo encarnando uma personagem que tornou-se mítica não apenas no cenário musical mundial mas também no cenário político argentino e latino. Eva Perón é uma personagem dificílima de se interpretar, visto que todas as suas canções (e para os que não sabem, Evita não tem diálogos falados, apenas cantados) são em tons bastante altos. Patti LuPone (uma das grandes divas da Broadway) declarou uma vez ter detestado ter feito esta personagem por precisar se “esguelar” para cantar e que Evita era uma produção criada por um homem que odiava as mulheres, afinal ninguém conseguiria alcançar aquelas notas com facilidade. Foram poucas as atrizes na Broadway que se sentiram confortáveis com esta personagem, assim como na West End de Londres; No entanto no Brasil a cantora Claudya encarnou a primeira Eva brasileira e mostrou-se hábil e capaz de alcançar grandes notas sem dificuldades. O filme gerado pelo musical apresentou Madonna no papel de Eva Perón e, para os que conhecem o musical, sua interpretação foi decepcionante (e olha que sou fã adorador da Madonna). Todas as canções foram apresentadas em tons muito baixos perdendo o impacto da força de Eva. E assim foi sendo feito em diversas montagens, todas as canções eram apresentadas em tons abaixo do normal. Isso até agora. Jorge Takla foi um dos primeiros diretores a optarem por voltar a subir o tom do espetáculo e, para isso, era necessário encontrar uma atriz especialmente capaz de tal. Paula Capovilla foi a eleita. Um vídeo de sua audição foi enviado a Andrew Lloyd Webber (o autor do espetáculo), que aprovou a triz como Eva. E não foi à toa. Paula encarna Eva não apenas com uma interpretação forte e convincente, mas com uma voz impecável. Ela é engraçada, determinada (prova disso é uma das canções mais impactantes, “A Nova Argentina") e emociona (principalmente em dois grandes momentos: “Não Chores por Mim Argentina” e “E o teu Amor"). Paula é uma atriz perfeita.
Tive a chance de falar com ela após o espetáculo para parabeniza-la e estou ainda estático com seu carinho e sua simplicidade. Vida longa para Paula, a deusa dos musicais brasileiros.

Um comentário:

Isabel Cristina disse...

Pelo que entendi foi feito uma peça de teatro??? É isso????
Realmente quando saiu o filme que não me lembro quem fez o papel da Evita, tbm se não me falha a memoria comentou que foi muito difícil interpretar Evita........ e me parece que ela até queria desistir do papel, não vou me aprofundar para não falar muita besteira, rsrsrsrsr (vc. sabe que eu tento, mas minha mente é meia que devagar e derepente posso estar confundindo as coisas.
Mas enfim muito bom esse comentário a foto está maravilhosa. Parabéns......